Avaliação – JAC T40 1.5 16V VVT JetFlex 2018

Notícias

Car Point News
02/02/2018
Avaliação – JAC T40 1.5 16V VVT JetFlex 2018

Dificilmente um carro de testes me surpreende e quebra paradigmas, parabenizo a JAC pelo ótimo produto. Início o texto pela lista de equipamentos, que dificilmente está presente em um carro nacional de R$ 57.990,00.


Muita atenção para não esquecer de nada, pois este carro tem praticamente tudo, confira a lista: Assistente de partida em rampa(hill holder); Controle de tração e de estabilidade (ESP , TSC- coisa que a maioria dos nacionais mais caros não possuem); Monitoramento de pressão dos pneus; Trio elétrico; Sensor de estacionamento traseiro; Luzes diurnas de LED, luz de conversão (ilumina curvas seguindo o movimento do volante; Retrovisor interno anti ofuscante; GSI indicador de troca de marchas; Alarme; Cruise Control; Acendimento automático dos faróis; Volante revestido de couro com ajuste de altura com comandos de áudio; Direção elétrica; Banco do motorista com ajuste de altura e descanso de braço; Isofix; Rodas de liga leve de 16 polegadas com pneus 205/55 R16; Câmera frontal Connect Front Câmera; Câmera de ré; Central multimídia com tela de 8 polegadas; Pintura em dois tons; Tomadas usb e 12v; Cintos de 3 pontas e encosto para todos ocupantes; Chave canivete; Freio a Disco nas quatro rodas com ABS e EBD e 2 Airbags. Surpreendente tantos equipamentos de qualidade por um baixo custo


A JAC estreia seu novo logo em grande estilo e triplicando as suas vendas em 2017. Por fora as linhas te levam a crer que o Hatch é um SUV, desenho este fruto de muito trabalho e investimento do dos profissionais da JAC, realmente é lindo e te leva a crer que é bem maior em fotos, porém não decepciona no espaço interno e nem no porta-malas, que é maior do que SUVS maiores, como o WR—V que tem 363 litros, o HB20X com 300 litros e o Sandero Stepway com 320 litros o JAC “tira onda” com seus 450 litros, só faltava o banco traseiro ser bipartido pra ser nota 10.


Na mesma mala sem atrapalhar em nada fica o estepe com as mesmas medidas dos pneus originais só que com roda de ferro e não os estepes temporários que limitam a velocidade podendo atrasar uma viagem em família.


O T40 o T40 mede 4,13 m de comprimento, 1,75 m de largura, 1,56 m de altura e 2,49 m de entre-eixos com 1.155 kg e 18 centímetros do solo e tração apenas na dianteira. Para mover o Hatchsuv o mesmo motor green jet VVT 1.5 16V flex que rende 125 cv de potência (gasolina) e 127 cv (etanol), com torque máximo de 15,4 kgfm e 15,7 kgfm entregues a 4000 rpm podendo girar ate 6400 rpm quando ocorre o corte sujo.


Por enquanto só um justo câmbio manual de cinco marchas, que oferece troca macias e precisas. Mas uma versão CVT está chegando, junto com nova motorização 1.6 ainda não revelada, mas tirando pelo T40 nota-se que coisa muito boa está por vir, assim como um Mini SUV baseado no J2 com nome de T2 e o “Suvão” da marca com muito luxo conhecido na china como S7 que aqui dever se chamar T70.


Foi quase uma semana com muitos olhares de curiosos e incontáveis elogios ao T40, além da surpresa de muitos quando falava a montadora e o preço. Todos pediam pra entrar no T40 e ao entrar eu acompanhava o sorriso e os olhos surpreendidos pelo acabamento e espaço interno além dos equipamentos de série.


Tanta surpresa que apenas uma pessoa me perguntou se não vinha com couro. O T40 roda suave e é bem esperto em certas ocasiões, e pra isso você precisa chegar na faixa dos 4000 rpm onde um leve barulho invade a cabine. A direção elétrica é bem leve mas não é boba em velocidades altas.


A suspensão copia o piso, tendo ótimo comportamento em curva, em nenhum momento vi o ESP atuando. A suspensão e posição de dirigir são elevadas, do tipo Fiat, macia mas não mole, que preocupada com conforto em deixar a segurança de lado. O acabamento sem rebarbas surpreende, o desenho do painel é clássico sem deixar a modernidade de lado. O quadro de instrumentos poderia ter um computador de bordo maior mostrando a velocidade na tela digital.


A central multimídia com som de ótima qualidade fica devendo o espelhamento de smartphones, coisa comum hoje em dia, mesmo que em alguns modelos não esteja funcionando como deve, aliás Android Auto precisa evoluir muito e o conhecimento da montadoras sobre este aplicativo que oferecem também.


O Hill Holder é presente e funciona muito bem mesmo com o carro com carga máxima. Os freios a disco nas quatro rodas na minha opinião deveriam ser mais responsivos, mais rápidos em sua atuação, notei certo LEG em algumas frenagens. A câmera on board é um “barato” registrando tudo a sua frente e no caso de um acidente ela para de gravar para deixar registrado o momento onde as imagens servirão como prova. O espaço no banco traseiro é muito bom, assoalho baixo, acomoda três adultos bem como poderão ver no vídeo onde levo o T40 na oficina TOPLINE onde mostramos e comentamos motor, undercar, insidecar ( interior) o link está logo abaixo.